O novo empreendimento de Torres Vedras é um dos projetos estruturantes da região Oeste e distingue-se pelos acessos estratégicos.

Portela da Villa

A apresentação dos primeiros 16 apartamentos do Portela da Villa já aconteceu e marca o arranque deste projeto residencial. Trata-se de unidades de tipologias T2 e T3 que entraram já na fase de pré-reserva comercial com preços a partir dos 240.000 euros.

Durante a apresentação, levada a cabo pela LeapAssets, foi também apresentado à comunidade o conceito base para a revitalização da urbanização estrutural na cidade de Torres Vedras e que prevê a fixação de três mil residentes num total de cerca de 800 fogos. O projeto engloba ainda áreas de comércio e serviços, espaços verdes e zonas de lazer e desporto.

Portela da Villa

Será necessário, no total, um investimento superior a 200 milhões de euros para o desenvolvimento deste projeto que decorrerá de forma faseada.

Uma das grandes vantagens do Portela da Villa está na sua excelente localização, pois encontra-se na bonita região Oeste com várias praias nas proximidades e está a apenas a cinco minutos de Torres Vedras e 30 minutos de Lisboa. Situado na saída 9 da A8, este projeto beneficia, assim, de fácil acesso a vários pontos do país.

 

Portela da Villa

De acordo com Georges Bou Jaoude, Managing Director da LeapAssets, “este é o pontapé de saída para a criação de uma das mais importantes soluções para a crise habitacional que Portugal enfrenta”. O responsável considera que é urgente “disponibilizar casas a preços ajustados aos rendimentos das famílias e que, simultaneamente, essas casas proporcionem uma boa qualidade de vida em termos de conforto, segurança, sustentabilidade e mobilidade”.

“É justo que as famílias portuguesas e os jovens em início de vida possam ter uma casa nova de qualidade, garantindo estas condições e que isso não implique prescindirem da proximidade a centros urbanos importantes. Acreditamos que Torres Vedras incorpora todos estes atributos, conjugando urbanidade e conveniência num raio de 30 minutos de distância de Lisboa, e que a Portela da Villa, na forma como está a ser repensada para o futuro, vai transformar esta região num dos destinos residenciais mais apetecíveis em alternativa a Lisboa”, acrescenta.

Portela da Villa

Os 16 apartamentos desta primeira fase de lançamento possuem áreas entre os 74 e os 138 metros quadrados (m2) e beneficiam de varandas e terraços igualmente com áreas generosas. A excelente luz natural é outros dos pontos a favor, assim como os materiais sustentáveis, os equipamentos de qualidade e a aposta na eficiência energética nos sistemas de conforto e gestão da casa.

Estão também já em fase de construção e de comercialização duas moradias em banda, com piscina e jardim privado, e com áreas interiores de 280 m2.

Moradias em banda

“Estes primeiros projetos são a montra ideal da nossa visão para a Portela da Villa. Queremos disponibilizar uma solução habitacional para as famílias e jovens que não consuma mais que a fatia do seu rendimento aconselhada para satisfazer as necessidades de habitação, sem que isso implique prescindir do seu bem-estar, da proximidade a serviços, educação, comércio e cultura, e do acesso a uma casa de qualidade. A Portela da Villa personifica esta visão, ao mesmo tempo criando uma comunidade integrada, com preocupações de sustentabilidade na melhor localização da área de influência de Lisboa, Torres Vedras”,explica ainda Georges Bou Jaoude.

O Managing Director da LeapAssets destaca ainda a zona de Torres Vedras como uma das “mais promissoras para a expansão residencial de Lisboa face à pressão que se faz sentir na capital e na sua primeira coroa”.

Portela da Villa

“Conjuga bons acessos e proximidade a uma capital europeia, com um estilo de vida de uma cidade bem servida de serviços, comércio, saúde e ensino, cultura e lazer. É uma cidade perto da praia e tranquila, mas simultaneamente muito virada para o futuro a nível de ambiente e tecnologia, além de estar empenhada em melhorar a sua conectividade em termos de mobilidade e ligações de transportes”, acrescenta.

A região Oeste está a apostar no desenvolvimento, estando previsto um reforço do investimento público no que se refere à mobilidade e aos acessos. Esse desenvolvimento inclui um novo traçado da variação de ligação da A8, ligado numa fase inicial à zona industrial das Palhagueiras e podendo ser prolongado até Santa Cruz. Inclui também a modernização e eletrificação da linha ferroviária do Oeste, prevendo a ligação entre Torres Vedras e Sintra numa primeira fase.

A linha ferroviária do Oeste será modernizada

https://www.idealista.pt/news/imobiliario/construcao/2023/07/19/58606-viver-no-oeste-lancados-os-primeiros-apartamentos-do-portela-da-villa